Teu Amor Não Basta

Quem nunca sofreu por amor.



Despertei...

E olhava fixo para a luz. Fechei meus olhos e além do escuro, vi pequenos pontos verdes sobrepondo manchas avermelhadas, tudo lentamente se movia.

Abri meus olhos e além do teto branco, também capturei manchas azuladas dançantes. Imagino que sejam fragmentos de imagens recortadas e soltas, as que sobraram de uma composição de sonhos, pixels solitários flutuando no espaço. Eu respirava lentamente, suspirei. Senti os ombros marcados, queimaduras leves no rosto, ao mesmo tempo, meu corpo hcongelado, manhã de chuva, ar condicionado no máximo. Conforme as manchas dançantes, meus pensamentos me embalavam.

A experiência de abrir e fechar os olhos, na manhã de chuva, de corpo sentido, decisões ardidas... Suspiro.

Não é nada fácil.



Passou?

(Passou nada)

Ainda não? Espero que passe.

(Parece que não)

Todos dizem que passa.

Aceita!

Disfarça!

Faz de conta, que passa!

Viaja!

Precisa ter fé que passa.

(Mas ainda nada).

Se desliga!

(O quê?)

Se desliga!

(Não! vai ser pancada)

Desliga que passa!

(Droga vai doer como faca).

Acaba logo com isso, desliga!

(JÁ! Já desliguei).

Pronto! Agora chora que passa.

(...)

E aí passou?

(Estancou, não sinto quase nada, mas se apertar dói até a alma.)

Confia no tempo que tudo passa.




“Mils” de Mim

Meu coração ficou em pedaços, lancei ao rio “mils” de mim.

Soltei ao ar, foi para bem longe, o que mais pensei está completo em “mils” de mim.

E cada passo é pesado, não faz sentido, mas eu sigo e lanço ao vento toda minha dor.

Em mil pedaços de mim, dos mil sentimentos por ti.

Lanço ao ar, lanço ao ar, foi ao rio.




Chuva da Lembrança

Vamos esperar que a chuva passe, enquanto queremos que ela continue;

Vamos nos secar, mesmo sendo boa a sensação de estarmos molhados;

Vamos correr e sair debaixo dela, mesmo que seja revigorante se apenas corrêssemos sem ir atrás de cobertura.

Corremos, saímos, a chuva passa, nossas roupas secam.

Chuva que dura uma vida inteira.

Aproveitamos um minuto debaixo dela e nada mais.

E nada mais, nada menos, que um minuto para toda vez que chover me recordar de você.



Fui

Fui para longe de ti

Fui para ficar mais perto de mim

Fui ficando dentro de si, de mim, de ti, de si, de mim...

Tua imagem bate e rebate

Do que tu foi e do que ainda és para mim.

Deram-me a missão de apagar o que se passou.

Aceitar o que somos agora.

Aceitar o que somos agora, aceitar em vivermos com o que tempos de melhor um do outro.

Vou ficar longe de ti, para te ter acesso.

Já que é o modo mais próximo de viver contigo.

Fui para ficar.

Fui.

Fiquei.


Noturna,

Flutuas no pensamento,

Cabelos de Prata,

Água Negra,

Pinga em teu olhar.




0 visualização